Terça-feira, 17 de Outubro de 2017

La obra de un cantautor honesto

"Tímido y frágil, su voz fue única por su timbre y sonoridad y una afinación exacta y precisa.

Y aun así nunca le agradaron lo más mínimo las luces de los escenarios. Para Afonso, tener que cantar ante un público era como tener que sacarse un diente. “Nunca canto por gusto” decía y es que Zeca, más que intérprete era un creador y un docente.

Y como muchos artistas y creadores, nunca se preocupó del aspecto comercial de su arte. Por eso cuando a mediados de los 80 contrae una extraña enfermedad llamada esclerosis amiotrófica mejor conocida como enfermedad de Lou Gehrig, en referencia al beisbolista americano de los años 30 que también la sufriera, y a medida que la dolencia va acabando con su salud y con su vida, Afonso también fue hundiéndose en la ruina económica hasta terminar en una pobreza extrema cercana a una indigencia por demás indigna de su talento y relevancia.

Como escribió alguien alguna vez, Afonso murió pobre porque nunca pactó con el sentido común, con la comercialidad, con el poder, con lo fácil y gratuito. Él mismo decía: “salvo excepciones somos un país de cantineros y de vendedores, que vendieron en las Áfricas, en Brasil, en Extremo Oriente… Ahora somos un país de pequeños comerciantes y estamos a vendernos los unos a los otros”.

José Afonso nunca aceptó venderse ni vender a nadie y además de ser el renovador de la música portuguesa fue la voz de los que no tenían voz, fue el más humilde de los humildes, fue el alma de las víctimas de la injusticia y la iniquidad. En un homenaje que le hicieron en Braga en 1984 dijo “Importa mantener la capacidad de indignación y seremos capaces de rechazar la hipocresía de quienes detentan el poder”.

daqui:

http://periodistas-es.com/grandola-vila-morena-los-30-anos-la-muerte-zeca-afonso-82186

Tradução livre

"Tímido e frágil, sua voz era única por seu timbre e sonoridade e um ajuste exato e preciso.

E, no entanto, ele nunca gostou das luzes do palco. Para Afonso, ter que cantar ante o público era como ter que tirar um dente. "Eu nunca canto por prazer", disse ele e é isso Zeca, mais do que o intérprete foi um criador e um professor.

E, como muitos artistas e criadores, nunca se importou com o aspecto comercial de sua arte. É por isso que, quando em meados dos anos 80, contraiu uma doença estranha chamada esclerose amiotrófica mais conhecida como doença de Lou Gehrig, em referência ao jogador de basebol americano dos anos 30 que também sofreu, e como a doença ia acabando com sua saúde e com a sua vida, Afonso também foi afundando na ruína económica até terminar numa pobreza extrema, perto de uma indigência indigna de seu talento e relevância.

Como alguém escreveu uma vez, Afonso morreu pobre porque nunca pactuou com o sentido comum, com comercialidade, com o poder, com o fácil e gratuito. Ele mesmo disse: "salvo exceções, somos um país de cantineiros e vendedores, que venderam em África, no Brasil, no Extremo Oriente ... Agora somos um país de pequenos comerciantes e estamos a vender-nos uns aos outros".

José Afonso nunca aceitou vender-se nem vender a ninguém e além de ser o renovador da música portuguesa era a voz daqueles que não tinham voz, era o mais humilde dos humildes, era a alma das vítimas da injustiça e da iniquidade. Num tributo feito em Braga em 1984, ele disse: "É importante manter a capacidade de indignação e seremos capazes de rejeitar a hipocrisia daqueles que detêm o poder".


Este desenho de Xulio Formoso de Zeca Afonso, tem um erro. Penso que não terão qualquer dificuldade em identificar esse erro.


publicado por marius70 às 16:04
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Janeiro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12

14
15
16
17
18
20

21
22
24
25
26
27

28
29
30
31


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Luís Arriaga

. 3º Congresso da Oposição ...

. Círculo Mercantil de Sant...

. Praza da Quintana em Sant...

. Círculo Cultural de Setúb...

.arquivos

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

.tags

. todas as tags

SAPO Blogs

.subscrever feeds