Quarta-feira, 23 de Agosto de 2017

José Carlos Vasconcelos

"Após o 25 de Abril julguei que a única coisa que tinha de fazer era contribuir para o processo geral. Agora, dou por mim a contabilizar as minhas actuações. E divido a minha actividade em duas partes: vou lá fora arranjar dinheiro, para o chamado pé-de-meia familiar e cá dentro pago a minha dívida política e cultural para fins que considero correctos e a pessoas ou organizações para que vale a pena fazê-lo. E como poucas vezes canto por gosto - prefiro estudar, agradar-me-ia tirar outro curso, às vezes até me passa pela cabeça que gostaria de mudar de personalidade, como as personagens de Pirandello, preciso de muitos, muitos estímulos para cantar, tocar e fazer coisas novas.

Por outro lado também existe uma certa decepção ou, se não decepção, desvalorização da actividade cantante. (...) , o que faço é ler, praticar actividades físicas e ensinar os meus filhos, mas gostaria de ensinar os filhos dos outros"

In Se7e, 22 de abril de 1980, entrevista a José Carlos de Vasconcelos.

foto: Zeca com José Carlos Vasconcelos


publicado por marius70 às 11:40
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 14 de Agosto de 2017

Luís Cília

Quando é que se deu o primeiro contacto com a música do Zeca Afonso?

"Já foi em Paris. O Adriano conheci-o pessoalmente aí, mas não tinha nenhum disco dele. E foi por essa altura que ouvi o primeiro disco do Zeca Afonso, acompanhado na viola por uma pessoa também muito importante, com um excelente trabalho, o Rui Pato?. Foi aí que conheci os primeiros discos do Zeca Afonso, que eram uma maravilha, de um talento enorme."

E quando é que conheceu pessoalmente o Zeca Afonso?

Foi em Paris, porque eu não podia vir a Portugal. Conheci-o quando o Zeca foi lá cantar pela primeira vez. Já não me recordo da data precisa, mas ainda foi nos anos 60, numa espécie de foyer de estudantes no Bairro Saint-Michel, que era dirigido pelo Ayala, um exilado que vivia lá há muitos anos. A partir daí ficámos amigos. Ele e a Zélia chegaram a ficar em nossa casa numa altura em que não estávamos em Paris. Comecei, portanto, a ter uma relação mais intensa com o Zeca, também com o Paco Ibáñez que conheceu o Zeca nessa época através de mim."

daqui:

http://www.esquerda.net/dossier/um-grande-amigo-e-um-homem-extraordinario/47140

foto: Luís Cília e Zeca, na Festa do Avante 1980


publicado por marius70 às 12:56
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 11 de Agosto de 2017

Benedicto

"E aqui quero fazer uma referência especial porque quando falamos de cantores militantes não podemos esquecer o Benedicto, natural de Santiago de Compostela, galego, que fez comigo mais de cinquenta sessões, algumas delas com José Jorge Letria e outros.

Como é óbvio, a maior parte de tais sessões foi clandestina e na fase final do fascismo quando o movimento sindical começou a estruturar, gerando mais tarde a Intersindical, fomos convidados frequentemente para actuar nos caixeiros, depois nos bancários (também convidaram o Fanhais)."

fonte: José Afonso - Andarilho nas Astúrias de Mário Correia?

fotos: Zeca em Santiago de Compostela com Fanhais, JJLetria e Benedicto




publicado por marius70 às 09:01
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 10 de Agosto de 2017

O cancro

"Íamos, os dois, em pé, no eléctrico para a Praça da República e ele, no seu jeito irreverente, disse, em voz alta, uma graçola qualquer sobre Salazar - talvez: "Diz-se que o António tem um cancro; coitadinho do cancro!". Houve uns quantos sorrisos discretos...

Quando descemos do eléctrico, o Zeca foi abordado por um sujeito desconhecido que lhe mostrou "qualquer coisa", que trazia escondida sob o virado do casaco. "Que raio de merda é essa?", foi a reacção descontraída do Zeca. O homem agarrou-o por um braço, e mostrou-lha melhor - era um crachá da PIDE!

O Zeca ficou entupido e o homem disse-lhe: "Tenha juizinho e não volte a dizer aquelas baboseiras!"


fonte: "Zeca Afonso antes do mito" de António dos Santos e Silva

foto: Zeca com o irmão João, António dos Santos e Silva deitado no capô e o primo Tó, filho da tia Avrilete, atrás à dtª.


publicado por marius70 às 11:51
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 9 de Agosto de 2017

Canção do Mar

"Canção do Mar" do EP "Cantares de José Afonso" - 1964
(disco proibido pela censura)

viola: Rui Pato?


Ó mar
Ó mar
Ó mar profundo
Ó mar
Negro altar
Do fim do mundo

Em ti nasceu
Ó mar
A noite que já morreu
O teu olhar

Ó mar
Ó mar
Ó mar profano
Ó mar
Verde mar
Em que me irmano

Em ti nasceu
Ó mar
A noite que já morreu
No teu olhar



foto: Zeca com a filha Joana


publicado por marius70 às 10:48
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Janeiro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12

14
15
16
17
18
20

21
22
24
25
26
27

28
29
30
31


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Luís Arriaga

. 3º Congresso da Oposição ...

. Círculo Mercantil de Sant...

. Praza da Quintana em Sant...

. Círculo Cultural de Setúb...

.arquivos

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

.tags

. todas as tags

SAPO Blogs

.subscrever feeds