Sábado, 29 de Outubro de 2016

Os cantores malditos

“Éramos cantores dos meios proibidos, subterrâneos, não usávamos de qualquer protecção policial. Muitas dessas actuações não se chegavam a realizar, porque as autoridades as proibiam. Em contrapartida, eram entremeadas de episódios que pelos seus reflexos assumiam consequências muito mais importantes do que uma intervenção meramente musical.”

José Afonso

Flama, nº 137 - 17/6/74 - Fernando Cascais


publicado por marius70 às 19:07
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 28 de Outubro de 2016

Festival FolkSong

O Festival a que Zeca Afonso e Rui Pato não foram

"O Primeiro de Janeiro", 04 de Março de 1969

José Afonso não foi ao Festival e terá perdido a possibilidade de conhecer Bob Dylan...

PS - A esta notícia não terá sido alheio o postal que Zeca Afonso enviou a Rui Pato. O Pai de Rui, Rocha Pato, era jornalista de "O Primeiro de Janeiro".

Diria Rui Pato? sobre a não ida a este Festival

"A data é de 2 de Março de 1969 e, dado que a crise académica me "retirou da circulação" em Junho... Não compareci e o Zeca também não. Até hoje, estou convencido que foi por solidariedade para com a nossa causa."

daqui:

http://guedelhudos.blogspot.pt/search?q=Jos%C3%A9+Afonso+n%C3%A3o+foi+ao+Festival+e+ter%C3%A1

http://guedelhudos.blogspot.pt/2008/06/zeca-afonso-falha-encontro-com-bob.html


publicado por marius70 às 16:33
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 27 de Outubro de 2016

Zeca Afonso

Eras igual a nós
Não fora o teu canto,
Mas, ao som da tua voz,
Ruflavam asas...
De amor e pranto.

Ecos, memórias
De lá da infância.
Mundos, quimeras
Dalém distância.
Raiva, ternura...
Flores que brotavam,
Como por graça,
Dum chão de mágoas
Intemporal.
Sede sem taça
De água lustral.

E o peito solto
Como um vela.
As mãos vazias.
O braço dado.
Pés de andarilho
Sem dono ou trela.

Quebrado o encanto,
Ficou a vida.
Mais velha e chã.

Falta o teu canto,
Zeca:
Hino e alerta,
Flor da Manhã!

in "Poemas de fim de dia" inserido no livro "Zeca Afonso - antes do mito" de António dos Santos e Silva


publicado por marius70 às 18:36
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 26 de Outubro de 2016

O avô Cerqueira

- Descobri recentemente - conta - que sou neto de um gajo, um maçon livre-pensador de Aveiro, um republicano daqueles bigodudos que esteve ligado a um movimento importante de renovação escolar. Chamava-se Domingos José Cerqueira e parece que foi um dos tipos que introduziu o culto da árvore nas escolas. E chegou a fazer uma «cartilha» ("Cartilha Escolar" - 1912 - Livraria Chardron, da Lelo&Irmão), a segunda depois da «Cartilha Maternal» de João de Deus. (1)

José Afonso

Domingos José Cerqueira, avô materno de José Afonso, nasceu em Ponte de Lima (14-4-1870) e morre com 57 anos, em Aveiro por doença (8-12-1927). Exerceu o seu labor profissional no campo do Ensino Primário, foi jornalista e, nesta cidade (Aveiro), iniciou a criação de escolas infantis – as primeiras que existiram em Portugal.

(1) in «As Voltas de Um Andarilho» de Viriato Teles (Assírio & Alvim - 2009)


publicado por marius70 às 14:22
link do post | comentar | favorito
Sábado, 22 de Outubro de 2016

A margem sul

"A margem sul (entenda-se: do Tejo) era um terreno minado de cumplicidades subterrâneas. O conceito era mais político do que geográfico e, por isso, incluo nele, por minha conta, o Alentejo... com as suas cores dominantes, o verde e loiro dos sentidos (conforme as estações), o vermelho das convicções.

Rui Pato? conta, em saborosas lembranças, como se metiam no comboio, Zeca e ele (mais as violas), e viajavam de borla, tendo a pairar sobre as cabeças, como um possível diadema, o beneplácito dos revisores que passavam de uns para aos outros a senha de salvo-conduto. Às vezes por conta da cumplicidade tácita e oculta, traziam de volta propaganda clandestina. Foi assim que em 1967, alguém se achegou a Rui Pato e, à socapa, lhe meteu nas mãos um rolo de exemplares de um jornal cubano que noticiava a morte de Che Guevara (9 de outubro de 1967). - «Para distribuir em Coimbra, camarada», murmurou a voz anónima."

in "José Afonso - Um Olhar Fraterno" de João Afonso dos Santos


publicado por marius70 às 15:59
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Janeiro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12

14
15
16
17
18
20

21
22
24
25
26
27

28
29
30
31


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Luís Arriaga

. 3º Congresso da Oposição ...

. Círculo Mercantil de Sant...

. Praza da Quintana em Sant...

. Círculo Cultural de Setúb...

.arquivos

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

.tags

. todas as tags

SAPO Blogs

.subscrever feeds